Home Escola Fotos Vídeos Oficinas Depoimentos Convênio Empresarial Informativos Contato

 

 

Meu filho não quer comer

 

Que mãe nunca enfrentou a árdua tarefa de fazer o filho comer? Um trabalhão para preparar a comida e na hora da refeição ele só faz cara feia e não quer saber de tocar no prato que você preparou especialmente para ele. E não adianta fazer aviãozinho, brincadeiras, parece que nada é capaz de convencer o seu pequeno que ele precisa comer.

Antes de qualquer coisa é essencial que a mãe saiba que nos primeiros meses de vida o pediatra irá orientar quais são os alimentos sólidos que serão introduzidos gradativamente na alimentação do bebê para que desta forma ele vá se acostumando aos poucos a ingerir todo tipo de comida.


Seguindo a orientação do pediatra, nos primeiros meses de vida deverão ser introduzidos gradativamente na alimentação do seu filho, certos tipos de alimentos. Isso fará com que ele aos poucos se acostume com os sabores e texturas dos alimentos.

Quando seu filho estiver maiorzinho, o primeiro passo para resolver esse problema é entender que negar comida é a coisa mais normal entre as crianças. A falta de apetite nos pequenos vai desde chamar a sua atenção até um hábito que ele adquire quando vê a importância que você dá para a hora da refeição. Então observe bem o comportamento do seu filho; caso você veja que é um problema mais sério, procure um pediatra que ele lhe indicará uma reeducação alimentar para que a hora da refeição não seja um tormento.

A melhor maneira de resolver esse problema é educando e acostumando a criança desde cedo ao hábito e aos horários da alimentação. As crianças se espelham e muito nos hábitos alimentares dos pais. Os bebês nascem naturalmente gostando de tudo, basta eles experimentarem; mas o que vai determinar se ele vai comer ou não determinado tipo de alimento, é o estimulo que ele tem em casa.

Resumindo, a criança vai comer aquilo que os pais comem, e nem adianta você mais tarde brigar com o seu filho porque ele não come fruta ou verduras, a culpa disso tudo pode ser somente sua. Dê uma dieta balanceada com todos os tipos de alimentos desde cedo, assim ele se sentirá estimulado a comer de tudo e a gostar de todos os tipos de alimentos. A alimentação está intimamente ligada a educação infantil. Se você não educa, não impõe horários e regras, se você cede as birras frequentes, via ficar difícil você fazer com que seu filho se alimente adequadamente.

Outra dica para ele sentir prazer ao comer é nunca forçar demais ou enchê-lo de comida toda hora. A criança só vai gostar de sentar para comer se for algo prazeroso e não uma obrigação. E outra, na cozinha para as crianças a dica do mais simples sempre é a melhor; nada de ficar inventando misturas e receitas, a simplicidade agrada mais aos pequenos. Quanto mais ele sentir o gosto individual de cada alimento, mais fácil ele vai gostar dele.


Use a criatividade e faça da refeição um momento de prazer e não de obrigação.

A hora de comer é só para comer, nada de aviãozinho ou outras técnicas para fazer a criança comer. Ele tem que aprender que a hora de comer é para comer e nada mais. A criança come primeiro com os olhos, então ela não vai apreciar a comida se for distraída pela TV ou se o prato estiver uma mistura feia. Mas isso não impede que você desenvolva uma história criativa com os alimentos, ou até mesmo com os talheres e prato.

Há muitas formas lúdicas de induzir seu filho a alimentação sem que seja a base de chantagens ou promessas que após o término da refeição não serão cumpridas.

Caso nada disso funcione, aplique a regra de três. Faça um trato com ele que ele deve dar três garfadas na comida antes de recusar. Antes da terceira garfada você já poderá ver o quanto ele vai estar mais interessado na comida; lide com o mau-humor alimentar dele com criatividade.

Como você pôde ver acima são regras básicas que podem ser seguidas no dia-a-dia e que facilitará a sua vida.

 

Fonte: Site Big Mãe

 

 
 
 
 

Todos os direitos reservados a Escola de Educação Infantil Abelhinhas da Colmeia - Proibida cópia total ou parcial. Site protegido.